Entenda o NVMe de forma simples e objetiva

Fala galera! Hoje trago uma dica rápida, para que você entenda o NVMe de forma simples e objetiva. Lembrando que será uma dicá rápida, sem muitas especificações.

O que é o NVMe?

Você provavelmente já acessou a BIOS do seu equipamento ou de outro equipamento e viu uma opção SATA Operation, Configure Sata As, SATA RAID/AHCI mode, etc. Cada fabricante de BIOS usa uma conotação diferente.

Nesta configuração, geralmente haviam duas opções: IDE e AHCI. Esses caras são a parte do “software” que combinado com as especificações de hardware do seu HD, conseguem atingir mais velocidade, diminuir latência, adicionar mais features, etc.

A opção IDE ou ATA foi programada para trabalhar com os discos IDE:

Entenda o NVMe de forma simples e objetiva
Entenda o NVMe de forma simples e objetiva

A opção AHCI foi adicionada para trabalhar com o protocólo SATA, seja ele Disco Rígido ou Disco Sólido (SSD):

Entenda o NVMe de forma simples e objetiva
Entenda o NVMe de forma simples e objetiva

O AHCI adicionou features como por exemplo o Hot Plug (mais usado para servidores), onde podemos desconectar/conectar um disco sem precisar desligar o equipamento.

Também adicionou o NCQ (Native Command Queuing), que faz com que o disco trabalhe de outra forma, aumentando o seu desempenho de leitura e escrita. Essa foto diz tudo:

Entenda o NVMe de forma simples e objetiva
Entenda o NVMe de forma simples e objetiva

E nos dias de hoje, ninguém mais quer utilizar um disco rígido, correto? Todos querem desempenho. Então, além dos SSD’s SATA, também foram criados os SSD’s M.2, que trabalham com o protocolo PCIe (bem como as placas de vídeo).

Mas aí temos um problema… Vamos utilizar um disco PCIe com um protocolo AHCI voltado para discos SATA? Não estamos perdendo desempenho? Podemos usar muito mais do SSD M.2 se houver uma programação adequada para ele.

E é aí que entra o nosso querido NVMe! A programação que em conjunto com um SSD PCIe, vira simplesmente um MONSTRO!

Aqui vai uma imagem de um disco M.2 com NVMe:

Entenda o NVMe de forma simples e objetiva
Entenda o NVMe de forma simples e objetiva

Quais cuidados devo tomar se for adquiri-lo?

Primeiro, o tamanho. O conector do SSD sempre será esse M.2 (claro que você pode adquirir SSD SATA e outros), porém, você deve tomar cuidado com o comprimento dele se não dará problema com o chassis no seu notebook ou desktop.

Segundo, se sua placa-mãe possui suporte para ele. Sempre consulte isso antes. Ela pode ter o slot para M.2, mas pode não aceitar o protocolo NVMe. Um exemplo seria essa GA-B150M-Gaming, ela possui suporte para NVMe.

Obs.: LEMBRE-SE! Nem todos os SSD’s M.2 terão suporte para NVMe. Valide isso antes!

O Linux tem suporte para NVMe?

Sim, desde o Kernel 3.3 o Linux possui suporte para discos NVMe. Aqui no site do NVMe Org tem mais informações sobre isso.

Inclusive, você pode acompanhar uma newsletter do time de desenvolvimento dessa parte do Kernel aqui, e ficar por dentro das melhorias e correções de bugs.

Valeu pessoal!

 

Se tiver alguma dúvida ou sugestão de conteúdo, por favor, entre em contato aqui ou comente abaixo!