fbpx

5 HABILIDADES que TODO profissional LINUX deve ter

Se você ainda não me conhece, meu nome é Mateus e eu faço alguns posts para este blog e alguns vídeos para meu canal do YouTube que está aí em algum lugar, com intuito de ajudar estudantes e profissionais a abrirem seus horizontes por meio do Linux.

Decidi escrever este post porque eu tenho certeza absoluta que não está claro para todo mundo as principais qualidades que todo profissional Linux precisa ter, e eu vou explica-las, apesar de parecem óbvias para algumas pessoas.

Separei 5 itens que considero essenciais para profissionais Linux:

  • Saber como identificar erros
  • Ler documentações oficiais
  • Automatizar tarefas
  • Não ser distro-maníaco
  • Compartilhar conhecimento

Ficou um pouco confuso? Deixa que eu vou explicar o porque de cada um desses pontos logo abaixo.

1. Saber identificar erros

Saber identificar erros é essencial para qualquer profissional de Tecnologia da Informação, pois vivemos em um mundo de problemas a todo momento, e estamos ali para resolve-los.

O que acontece com muitos profissionais é que apenas enfrentam um erro e já saem postando em fóruns, procurando no Google algumas coisas aleatórias, sem ter um objetivo concreto para alcançar.

A primeira regra para qualquer trabalho que envolve resolver problemas, é justamente ENTENDER O PROBLEMA! Me diga, como você vai resolver algo que não sabe o que está acontecendo?

Por isso, digo que saber identificar aonde está o problema é essencial, pois isso vai guiar você na hora de resolver o mesmo, e consequentemente, agilizar a solução.

Aqui vai algumas dicas:

  • Se tiver erro com qualquer coisa no Linux, procure primeiro os logs da aplicação ou serviço que está tratando
  • O diretório /var/log contém muitos logs que podem te ajudar!
  • O comando dmesg também pode te ajudar a identificar algum tipo de erro

Se você não conhece o /var/log, dá uma olhada no vídeo abaixo:

Agora imagina o seguinte, você não sabe muito bem o porque está ocorrendo, mas conseguiu encontrar uma mensagem de erro “chave” para o seu problema. Você já tem tudo, basta colocar no tio Google e encontrar a sua solução, porque nossa comunidade é gigantesca e com toda certeza alguém já passou pela mesma situação.

Vou te dar um exemplo: Uma vez eu ajudei uma colega a resolver um problema de travamento durante o boot, e dava uma mensagem “chave”. O que eu fiz? Documentei e criei um post aqui nesse blog para qualquer pessoa que enfrentar o mesmo problema, já saberá o que fazer! Veja:

[SOLUCIONADO] – Linux TRAVA durante o BOOT do PENDRIVE

2. Ler documentações oficiais

Ah, manuais! Como eu amo! Essa dica é essencial para qualquer profissional Linux. Saber ler documentações oficiais (principalmente em Inglês) e manuais com o comando man, você terá nada mais, nada menos, do que tudo que o próprio desenvolvedor da aplicação documentou!

Imagina que você está lá, mexendo em um Terminal de um CentOS e começa a enfrentar um problema na aplicação X. Você não tem conexão com a Internet. Qual a sua única saída? Os manuais.

Por isso, se adapte ao uso dos manuais. Tente sempre, primeiro, resolver algum problema usando a documentação do manual. Lembrando também que, o manual é a única documentação que você pode consultar em uma prova de certificação Linux que seja prática.

3. Automatizar tarefas

Tudo que se torna repetitivo é perda de tempo. Tempo é dinheiro. Saiba economizar o seu tempo automatizando as suas tarefas.

Não sei se você sabe, mas o Linux tem uma linguagem de programação nativa chamada de Shell Script, ao qual é possível criar uma infinidade de projetos de automação para a sua infraestrutura, e é cobrada em 100% das vagas de Linux.

Entretanto, não podemos nos ater a tão somente Shell Script, podemos usar diversas outras linguagens como Python, Perl, Go, Rust, todas podem ser usadas para automatizar uma infraestrutura Linux e muito mais!

Eu recomendo fortemente que você aprenda Shell Script antes das outras linguagens, até por ser a linguagem “core” do Linux e está presente em todas as distribuições, sem exceção.

4. Não ser distro-maníaco

Tem muito profissional Linux por aí que desmerece todas as distribuições que não sejam a sua preferida. Eu amo Debian, mas nem por isso deixo de testar, analisar e trabalhar em outras distribuições. Quem dirá falar mal delas.

O bom profissional Linux fala assim: “Me da um Terminal e um teclado que eu resolvo essa bagunça!”.

Não tem nenhum problema você gostar e amar uma única distribuição, e achar que ela é a melhor do mundo. Todo mundo faz isso. O problema é quando você começar a agredir a distribuição e as pessoas que gostam dela, isso é uma péssima conduta profissional e que viola totalmente nossa cultura open-source, de ajudar o próximo e compartilhar sabedoria.

Não seja um distro-maníaco. Abra o seu leque e aprenda a trabalhar em outras distribuições também, porque quando cair a casa meu amigo, você será o escolhido para resolver.

5. Compartilhar conhecimento

Acho que isso é o que mais falta no mundo open-source. Muita gente já veio me agredir verbalmente, falando que eu escrevi besteira, que falei falei falei, e não falei nada, que não tenho conhecimento e blá blá blá. E essa pessoa? O que ela fez de bom pela comunidade Linux? Eu pelo menos estou aqui, dedicando meu tempo para escrever esse post e milhares de outros, para ajudar outras pessoas a chegarem mais longe com o Linux.

Não tenha medo de compartilhar conhecimento, mesmo que você seja iniciante. Você não precisa criar um blog como eu, pode postar suas soluções em fóruns da sua distribuição, no site do vivaolinux, nos comentários de outros posts.

Eu tenho certeza que em qualquer lugar que você colocar essa informação, você estará ajudando alguém. Não perca essa essência, compartilhe conhecimento e ajude os outros a sua volta.

Se você estiver em uma empresa privada, o que custa documentar em um .txt? Desta forma, seus colegas já saberão como resolver o problema se ocorrer novamente. Compartilhar conhecimento é tudo!

Conclusão

Eu poderia ficar falando uma semana sobre qualidade de profissionais Linux, ou de Tecnologia da Informação, mas acredito que com certeza essas já vão abrir os seus horizontes.

Bom pessoal, espero que tenha gostado dessas dicas. Se gostarem, não esqueçam de compartilhar com os colegas em grupos de Linux. Este artigo pode ajudar muitas outras pessoas.

Me siga no Instagram onde eu faço conteúdos da minha rotina diária.

Participe dos nossos grupos no Telegram e Facebook! 🙂

Se tiver alguma dúvida ou sugestão de conteúdo, por favor, entre em contato aqui ou comente abaixo!