fbpx

RHEL 8: Confira as principais NOVIDADES!

Estou escrevendo esse POST aqui completamente atrasado, e também depois que alguns outros colegas escreveram sobre ele, como é o caso do Gabriel do Toca do Tux (confira aqui). Entretanto, não poderia deixar passar algo que mudou completamente a forma como vemos um Linux de nível empresarial.

Como todos já sabe, a Red Hat foi adquirida pela IBM por 34 bilhões de dólares. A decisão de mudar a forma como o RHEL é apresentado e seu posicionamento no mercado pode ter sido por influência da IBM. Posso adiantar que o RHEL 7 foi a última distribuição Linux “pura”, com foco somente no famoso on-premise.

Qual o novo objetivo do Red Hat Enterprise Linux 8?

Como todos sabem, estamos vivendo a era do DevOps, Cloud Computing, IOT e todas essas tecnologias de ponta. Um sistema que não foca nas necessidades do mercado, está sujeito ao fracasso.

O novo foco do RHEL está em hybrid cloud ou Cloud Híbrida. O que isso quer dizer? A hybrid cloud é um termo para definir ambientes de infraestrutura que são mistos, utilizando servidores on-premise (servidores Linux convencionais com hardware robusto), private cloud (OpenStack é um bom exemplo) e public cloud (os famosos AWS, Google Cloud, Azure, etc).

O ponto aqui é que o RHEL não será mais uma distribuição Linux, será a base para criar coisas incríveis.

Novidades

De acordo com Mike Guerette em um post no site da Red Hat, essa versão do Red Hat Enterprise Linux é a mais voltada para desenvolvedores, porque é justamente uma “plataforma”, ao invés de uma “distribuição Linux”. Eu, particularmente, concordo muito com esse posicionamento de mercado da RH.

Vamos falar de algumas novidades?

Repositórios

O RHEL virá com três repositórios por padrão para fazer a instalação de pacotes. Percebe-se que de fato há um foco muito grande na facilitação para os desenvolvedores.

  • BaseOS — Possui os pacotes do Sistema Operacional no geral.
  • Application Streams (AppStream) — A maioria das ferramentas usadas pelos desenvolvedores vão estar aqui.
  • CodeReady Builder — Bibliotecas adicionais em mais ferramentas de desenvolvedores.

O repositório de AppStream vai conter tudo que é relacionado ao desenvolvimento, como por exemplo as linguagens de programação, banco de dados, servidores web e muito mais!

Linux Containers

Os containers são parte essencial do mundo que vivemos hoje, e algumas ferramentas foram descritas no site da Red Hat, como por exemplo:

Para ser sincero, nunca tinha ouvido falar nessas ferramentas, mas vale a leitura.

Universal Base Image

Essa foi talvez a parte mais legal da leitura que fiz. A Red Hat criou uma imagem Linux “neutra” que pode ser usada para fazer o deploy de aplicações em cima dela. Consequentemente, você pode redistribuir a sua aplicação junto com a UBI para portabilidade.

Obviamente, a imagem será muito mais segura e você terá todo o suporte da Red Hat caso aconteça qualquer tipo de problema.

Bom pessoal, espero que tenha gostado dessas dicas. Se gostarem, não esqueçam de compartilhar com os colegas em grupos de Linux. Este artigo pode ajudar muitas outras pessoas.

Me siga no Instagram onde eu faço conteúdos da minha rotina diária.

Participe dos nossos grupos no Telegram e Facebook! 🙂

Se tiver alguma dúvida ou sugestão de conteúdo, por favor, entre em contato aqui ou comente abaixo!